Profissões - Tenho Que Será?

A sociedade brasileira tem uma quantidade considerável de normas, constitucionais e infraconstitucionais, inclusive conflitantes entre si, e, pior que tudo, não cumpridas, de forma que texto legal diz uma coisa e a realidade fática revela outra, porquanto profissões para 2018 que ainda não estão garantidos, sequer, os direitos fundamentais básicos de trabalhadores de todos os setores da economia - indústria, comércio, pecuária - e nem mesmo daqueles que deveriam estar assegurados por um sistema previdenciário qualificado. A psicanálise, por sua vez, construiu sua instituição fora da academia universitária e é regulada nacional e internacionalmente por seus pares, mesmo que com divergências e dissidências, oferece formação teórica e análise pessoal, minuciosa e longa, como Freud defendia e muito têm contribuído para a compreensão dos conflitos humanos. Utilizando ainda de Zaffaroni, esse discurso jurídico-penal apresenta-se formalmente como meio terapêutico, educativo, para obter um controle social, mas, na realidade encontra-se uma insegurança diante do sistema e de seus órgãos que com processo de etiquetamento citado por Vera Regina surgem como conseqüência a formação do medo nas classes de baixa renda por serem alvos” principais do sistema e da exclusão social, perdem a confiança no Estado e no direito penal, devido a esse isolamento e na forma diferenciada de tratamento desde a abordagem da polícia nas periferias como nas prisões que seria local de educação social, mas, mostra-se como local de aumento de insatisfação e aumento da violência.

Profissões para 2018||Profissões para 2018|Profissões para 2018|Profissões para 2018|Profissões para 2018|Profissões para 2018|Profissões para 2018|Profissões para 2018|Profissões para 2018} Insegurança pública, declínio na saúde, colapso na educação, escassez na habitação são exemplos de direitos sociais, coletivos ou individuais, não desfrutados pelos cidadãos em geral, mesmo que se elevem os tributos, aumentem a arrecadação da Fazenda Pública, mas sem compensação social. Por um lado podemos pensar que sim, para seguir aquilo que está predeterminado, porém, nos cabe analisar que processo de formação e trabalho docente está em constante mudança e muitas práticas hoje aplicadas já estão ultrapassadas, devendo ser revistas.

Nenhum comentário