Fumar maconha era o segredo da longevidade de mulher que viveu 125 anos

Fulla Nayak realmente é muito doida. A indiana fuma maconha e pensa que é a mais velha do mundo. Pelo menos, é isso que afirma a agência indiana “Ians”. Na verdade, a mulher mais velha do mundo não usa tóxico, é polonesa e mora no Brasil: Dona Maria Olívia da Silva.

fuma maconha

Mas voltando a alucinação, Nayak tem 125 anos e, além de beber muito suco de palma e várias xícaras de chá, queima grandes quantidades de erva, todo dia.

Originária de um povoado do estado oriental de Orissa, ela assegura ter completado 125 anos, apesar de seu título de eleitor ter sido emitido pelo Governo em 1995, indicando que ela tem apenas 120 anos.

Segura a onda Nayak. Você já tem uma filha de 92 anos, sofre com alguns problemas de vista e não pode ficar contando inverdades. A mulher mais idosa do mundo é a Dona Maria Olívia da Silva, que completou 126 anos, no último dia 28 de fevereiro.

Dona Maria veio para o Brasil aos três anos de idade e mora no distrito de Içara, em Astorga, no norte do Paraná. Sua simplória casa de madeira, têm as paredes tomadas por recortes de revistas e jornais de todo o mundo sobre o recorde de longevidade da ilustre moradora.

O Guinnes Book of Records reconhece que Maria Olívia da Silva é a mulher mais idosa do Brasil. Agora, só falta a certificação mundial, que ainda não foi expedida. Atualmente, o recorde mundial de longevidade é de 122 anos e pertence a Jeanne-Louise Calment. Uma francesa que nasceu em 21 de fevereiro de 1875 e morreu em agosto de 1997.

Texto: Cassiano Sampaio
Fonte: Redação Saúde em Movimento Wik